informe o texto

Notícias | Política

Emanuel: Decisão de quarentena em Cuiabá não tem estudo técnico

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, disse que o interior é o novo epicentro do vírus e que os municípios não foram preparados para tratamentos de pacientes infectados pelos vírus.

29 Jun 2020 - 12:13

MT 40 GRAUS

Emanuel: Decisão de quarentena em Cuiabá não tem estudo técnico

Emanuel Pinheiro destacou que a quarentena deveria ser adotada em todo o Estado para evitar a migração de pacientes do interior. Foto: RepórterMT


O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) criticou, nesta segunda-feira (29), a decisão judicial que determinou quarentena coletiva obrigatória na Capital e em Várzea Grande, para conter a disseminação do vírus. Emanuel disse que a decisão do juiz José Leite Lindote, da Vara Estadual de Saúde Pública, foi determinada sem nenhum estudo técnico e epidemiológico e que ela poderá colocar a perder os estudos realizados pela equipe o Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção da Covid-19.

"O que não dá é todo um trabalho técnico de quem tem o voto popular e a responsabilidade para isso, que tem uma equipe técnica com capacidade epidemiológica, sanitária para respaldar o prefeito para tomarmos grandes decisões, ser surpreendido com uma decisão judicial sem nenhum estudo técnico, sem estudo epidemiológico, sem nenhuma medida sanitária que respalde essa decisão que pode colocar a perder todo um trabalho que está dando resultado", disse.

Em entrevista à Rádio Metrópole FM, Emanuel voltou a argumentar que o problema da disseminação do contágio está no interior e que não segue medidas restritivas e não tem capacidade hospitalar para tratar seus pacientes, que migram para o atendimento de saúde em Cuiabá.

Emanuel apresentou um levantamento de que Cuiabá no início da pandemia representava 63% do total de casos confirmados em Mato Grosso, e que em junho, três meses depois, a cidade representa 24%. Ele comentou que isso aconteceu porque as medidas de isolamento sociais foram aplicadas no momento correto e caso não fossem adotadas naquele momento o número cinco vezes maior.

"A interiorização do vírus é o grande drama que Mato Grosso vai enfrentar daqui pra frente", destacou.

Ele comentou que o interior precisa de maior apoio das autoridades estaduais e federais e que os municípios tivessem seguido Cuiabá o drama seria muito menor.

Não adianta fechar Cuiabá, trancar a população dentro de casa, e abrir o Estado inteiro. O interior vai continuar vindo pra cá, porque não tem opção, vai continuar superlotando os nossos leitos de UTI e vai continuar esse drama no nosso Estado. O pior é a população cuiabana travada, presa dentro de casa, e a economia esfacelando, e as empresas quebrando e os trabalhadores correndo risco do fantasma do desemprego e faltar dinheiro para comprar alimentos e dinheiro para sequer pra comprar produtos de higiene pessoal para ajudar dentro de casa combater a proliferação da covid-19", complementou. Fonte: RepórterMT
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

 
Sitevip Internet