25 de junho de 2022
Destaques Política

Em meio a polêmica, Prefeitura de MT gasta R$ 750 mil com shows

A Prefeitura de Campinápolis (a 475 km de Cuiabá) gastou R$ 750 mil em shows sertanejos na exposição agropecuária ExpoCamp, que ocorreu entre os dia 12 e 14 de maio deste ano. O valor corresponde a 0,9% das receitas previstas pelo Município este ano.

Foram contratados shows de Felipe Araújo (R$ 210 mil), Bruno e Barreto (R$ 150 mil), Cleber e Cauan (R$ 160 mil), Banda Karkara e Vilões do Forró (R$ 80 mil), Mario e Thizil (R$ 80 mil) e Marcela Mares e Renan Rodrigues (R$ 70 mil).

A portaria com os valores foi publicada nesta quinta-feira (9), no Diário Oficial de Contas, em meio a polêmica relacionada à chamada “CPI do Sertanejo”, que são as investigações do Ministério Público relacionadas às contratações milionárias de shows por entes públicos.

Campinápolis tem uma população de 16.223 pessoas, conforme dados IBGE de 2021. E seu orçamento previsto para 2022 é de R$ 81,9 milhões.

Para Saúde, a Prefeitura estima gastos de R$ 16,9 milhões. Já na Educação, R$ 26,6 milhões.

O dinheiro gasto com a contratação dos shows é maior que a previsão de investimento em saneamento (R$ 480 mil) e cultura (R$ 516 mil) no Município.

A cidade, administrada pelo prefeito José Bueno (União Brasil), vive da agricultura e pecuária.

Em um levantamento feito pelo Jornal Folha de S.Paulo mostra que as prefeituras de Mato Grosso são as que mais gastam com sertanejos.

São 54 cidades, onde pelo menos R$ 16,6 milhões foram gastos este ano com a contratação de shows, a grande maioria de cantores do gênero.

Investigações, Anitta e o “toba”

O alto valor gasto com apresentações culturais, em sua maioria sertanejos, veio a tona após o cantor Zé Neto, que faz dupla com Cristiano, criticar a Lei Rouanet de incentivo à cultura durante um show em Sorriso (a 420 km de Cuiabá), no dia 13 de maio.

Durante sua fala, o cantor também critica a cantora Anitta, por uma “tatuagem no toba”.

A declaração não foi bem aceita pela internet, que expos diversos contratos entre prefeituras e cantores sertanejos. A dupla sertaneja Zé Neto e Cristiano, por exemplo, teria recebido mais de R$ 2 milhões em shows realizados por cidades do interior do País.

Ao fazer a crítica, o cantor omitiu que aquele e tantos outros shows da dupla são bancados com verba pública, isto é, a mesma fonte de recursos da Rouanet.

 

Fonte: MidiaNews

Posts Relacionados

Deixe uma resposta